5 dicas para vencer a preguiça

5 dicas para vencer a preguiça

vencer a preguiça

Muitas vezes sentimo-nos entediados, improdutivos, procrastinadores e preguiçosos. Nada contra – faz parte, inclusive, acontece comigo. Eu sou uma grande apologista de que devemos de parar, abrandar, sossegar, descansar e preguiçar q.b., no entanto, quando a preguiça nos prejudica e se mantém por muito tempo, tornando-se crónica, existem dicas para vencer a preguiça que nos podem ajudar. 


Hoje partilho 5 dicas para vencer a preguiça, de forma bem simples.



5 dicas para vencer a preguiça de vez

Dividir uma tarefa grande em tarefas menores

Muitas vezes o que nos impede de agir é o tamanho das tarefas que temos em mãos, não sabendo bem por onde começar. Se a tarefa é enorme, a minha sugestão é: dividi-la em pequenas etapas! Como costumo dizer: “come o elefante às fatias“! Não te assustes pela dimensão da mesma e começa devagarinho.



Descansar e fazer exercício físico

Ao contrário do que possas pensar, o descanso é essencial para que consigas combater a preguiça. O que acontece, muitas vezes, é que sentimos essa preguiça excessiva por estarmos demasiado cansados e por não sermos disciplinados com o nosso descanso. Respeitar o tempo de repouso necessário é meio caminho andado para que te sintas mais motivada e produtiva. Fazer exercício físico também te ajuda a combater a preguiça, além de ser excelente para aumentar a tua concentração de forma geral.



Fazer uma coisa de cada vez

Saltar de tarefa em tarefa não é de todo eficiente, pois o cérebro leva tempo a ajustar-se. Manter o foco numa só tarefa é um passo importante para evitar deixar para depois. Fazer uma coisa de cada vez gera mais resultados, ou seja, concluímos de forma mais rápida e eficiente as tarefas. Por isso não te deixes iludir pela falsa promessa da eficácia do multitasking.



Praticar a visualização

A nossa imaginação tem uma grande influência na nossa mente, hábitos e ações. Visualiza-te a realizar a tarefa com facilidade, energia e entusiasmo. Faz isso antes de começar uma tarefa ou meta, e também sempre que te sentires preguiçosa, ou quando a tua mente te sussurrar para abandonares o que tens em mãos.



Tornar fácil o que é difícil

A preguiça muitas vezes também se deve ao grau de dificuldade da tarefa que temos por fazer. Ninguém nasce ensinada, portanto se é difícil pede ajuda, aprende a fazer, ou se possível delega noutra pessoa com mais competências, mas acima de tudo, sê sempre sincera contigo mesma.



Estas são pequenas ações que te podem ajudar a vencer a preguiça crónica e a inércia.


Volto a reforçar que trabalhar muitas horas não é sinónimo de mais produtividade, andar sempre a correr não significa que se faz muitas coisas, estar ocupado não é sinónimo de sucesso! 


Penso que é importante deixarmos cair a cultura do quanto mais ocupado melhor, do quanto mais rápido melhor. Nem tudo tem de ser feito a correr, nem temos de estar sempre ocupados! Não fazer nada é uma forma de carregar baterias, de estimular a criatividade e aumentar a nossa disposição e energia para trabalhar!


Devemos focar-nos cada vez mais numa produtividade com propósito e perceber que não somos menos profissionais ou não temos menos sucesso se definirmos e respeitarmos os nossos limites, por exemplo: sair a horas do trabalho, não ver e-mails  ao fim-de-semana, não trabalhar nas férias.


Para complementar o que aprendeste neste artigo, sugiro a leitura do artigo: És produtiva ou estás ocupada?



Programa Evoluir

Se sentes dificuldade em implementar hábitos que te deixam mais produtividade, quero deixar-te uma dica extra: a sugestão de te juntares ao meu programa EVOLUIR. O programa EVOLUIR trata-se de um programa de subscrição mensal que te vai ajudar a implementar hábitos poderosos e transformadores na tua vida. Se sentes que precisas de apoio e de um acompanhamento para descobrires como viver a vida que mereces, este é o programa ideal. Deixa-me ajudar-te a caminhar na direção da mulher que queres ser – clica aqui para saberes mais informações sobre o programa EVOLUIR.



Se gostaste deste artigo, guarda-o no Pinterest

1 Comment

  1. Silvana

    Não sei se registrou o que recém escrevi… vou refazer.
    Sua escrita vem de um respeito pela sua própria vida, que se traduz visivelmente no respeito à vida do outro. Calma e alma. Centrar e cuidar de si. Um convite, apenas, que recebo com alegria e agradeço por isso.

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado.